Tuesday, October 16, 2007

"O outro"

1. Ia eu tranquilamente a pé por Piccadilly quando me pareceu ver o namorado actual da minha ex-girl friend. Como ela o modernizou, pensei eu logo. Óculos pequeninos, redondos, "à intelectual interessante"; casaco beige, recente; calças aceitáveis, limpas e bem passadas. Paranóia minha? Ou era mesmo ele? Se era ele, não deu mostras de me ter reconhecido. Fiquei a olhá-lo de longe, enquanto ele se afastava. Continuava a caminhar desengonçado, como um camponês da Raia de visita à cidade. Abanei a cabeça. Não há transformações perfeitas.

2. Enganei-me, muito provavelmente. Hoje apanhei o metro para Notting Hill e enquanto esperava em Sloane Square vi-o de novo. Envelhecido. Barba esbranquiçada crescida, barrete preto de lã na cabeça, mochila às costas, um ar esgotado. Portanto, contrariamente ao que eu imaginei, a pessoa que eu vi em Picaddilly há dois dias não era ele. Hoje, observando-o, pensei: ela já está a dar cabo dele como não conseguiu dar cabo de mim. Pareceu-me que ele me reconheceu e olhava para mim melancolicamente pelo canto do olho quando eu estava de costas. Fiz que não percebia. O metro chegou, entrei numa carruagem. Perdi-o de vista. Fiquei com pena dele.

(Caderno azul)