Tuesday, June 10, 2008

A poesia

Escrever livros
e publicá-los,
falarem deles
nos jornais,
para algumas
pessoas
é isso a
literatura.
Mas eu conheço
poetas
que nunca
publicaram
um livro
e são mais
poetas
do que os
poetas de que
falam os jornais.
Não me espanto
nem me aborreço.
Não preciso
que me ensinem
o que é a
literatura
nem que indiquem
o caminho. Sei
onde
está a poesia,
vou lá
e leio-a. Às
vezes imagino
que sou simples
e verdadeiro
como um poema
contraditório
de Alberto Caeiro.
E não dou
importância a isso,
são apenas
pensamentos
que cruzam
o meu espirito.

Amo as pessoas
sem saber
se elas
merecem
ser amadas.
Se me engano,
não tem muita
importância. Posso
queixar-me, mas
sei que queixar-se
não traz de volta
o amor. Sou humano,
também sei isso,
não sou infalível.

Não vivo obcecado
com a poesia
nem com o amor,
ela e ele vêm
ao meu encontro
naturalmente, como
as folhas crescem
na árvore e nalguns
casos caem no Outono.

No comments: