Wednesday, September 17, 2008

Fumo

Nos últimos dias consegui fumar apenas metade (ou menos de metade) de meia dúzia de cigarros. Não é fácil, para quem está habituado a fumar mais mesmo sem engolir deliberadamente o fumo. Já entendi por que razão, instruídos pela experiência, hesitamos antes de acender um cigarro ou o apagamos, culpabilizados, antes de ele chegar ao fim: fumar nasce de uma sede ou fome de qualquer coisa de natureza simultaneamente química e espiritual que o tabaco nunca satisfaz; e ainda por cima o tabaco mata. Porque insistimos? Mais uma metáfora simplória daquilo que é a existência: eterna procura, permanente derrota. 

No comments: